Nutrição efetiva para máximo desempenho em Running!

Setembro 18,2018
blog de noticias científicas - nutrição esportiva

A busca pela prática da corrida é cada vez maior e ocorre por diversos interesses, que envolvem desde a promoção de saúde, a estética, a integração social, a fuga do estresse da vida moderna e a busca por  atividades prazerosas ou competitivas.

A atividade física interfere diretamente no metabolismo basal de seus praticantes. Indivíduos desportistas necessitam de um acompanhamento nutricional especifico e adequado para obterem em seu treinamento um melhor resultado e desempenho. Tendo em vista este fato, a nutrição esportiva visa melhorar o desempenho do atleta, reduzir fadiga e lesões; reparo de lesões; otimizar os depósitos de energia e força; repor eletrólitos; maximizar o ganho de massa magra e manter o trato gastrointestinal confortável durante o evento. O planejamento alimentar deve considerar a adequação energética da dieta, a distribuição dos macronutrientes e o suporte de vitaminas e minerais.
 
Hoje em dia existem diversos suplementos à base de carboidratos, oferecidos na forma líquida, em pó ou em gel, com o propósito de repor o nível de glicemia ou taxa de açúcar no sangue nas situações em que haja a necessidade de mantê-la em níveis aceitáveis para que não comprometa o equilíbrio do indivíduo, como por exemplo na prática de corrida.
 
Para indivíduos que praticam a corrida recomenda-se o consumo de alimentos de baixo a moderado índice glicêmico no período pré-competição e durante a realização da competição por conta destes alimentos fornecerem glicose de forma contínua  e assim manter a fonte energética adequada. Logo após a competição devem ser consumido alimentos de alto índice glicêmico para evitar a depleção de massa magra e adequar o nível de glicose que poderá estar baixo. O consumo de proteínas deve seguir a recomendação de 10-15% do VET, sendo consumida preferencialmente uma hora e meia após o término da competição.
 
O consumo de alimentos ricos em proteína e gorduras durante a competição pode ocasionar certa indisposição gastrointestinal o que irá influenciar negativamente no rendimento do atleta. Outro fator de extrema importância para o desempenho adequado é a reposição hídrica. No período da prova por ser uma atividade intensa, é recomendado o consumo hídrico de 230 ml a cada quinze/vinte minutos, e além de água, é importante o consumo de repositores energéticos para a reposição de eletrólitos perdidos durante a competição como sódio e potássio. Como fonte destes existem repositores energéticos, maltodextrina e água de coco.
 
 
Referências
KLEINER, Susan M. Nutrição para o treinamento de força. Editora: Manole. Tradução: Dulce Marino, 2002.
SOUZA, Alessandra. Índice Glicêmico de Alimentos. Sociedade Brasileria de Diabetes, 2007. Disponível em: http://www.diabetes.org.br. Acessado em 21 de março de 2009.
WOLINSKY, Ira; HICKSON JR, James. Nutrição no Esporte e Exercício. Editora: ROCA LTDA. 2ª ed. Tradução: Maria Góes, Paulo Marcos Oliveira,1996.

Deixe uma resposta